viernes, 3 de marzo de 2017

2015 - BAILE DA ARARA


20 de fevereiro de 2015

Terça Feira de Carnaval (17/2) foi dia de cair na folia para uma galera muito animada e consagrar no calendário carnavalesco mais uma festa de primeira que com certeza veio para dar o que falar no Rio de Janeiro.

O primeiro Baile da Arara, organizado pelos sócios Malu Barretto, Pedro Igor Alcântara e Rodrigo Peirão, do escritório criativo carioca Arara, foi inspirado nos grandes bailes tradicionais de Carnaval. A festa teve cenografia do hôtelier francês Jean Michel Ruis, do Mama Ruisa, o local escolhido foi um casarão em Santa Teresa, que dispunha de vários ambientes para o conforto dos 400 convidados. O lugar mais disputado era próximo a roda de samba de Pretinho da Serrinha, que comandou a festa. Seu Jorge, Roberta Sá e Caetano Veloso deram canja. Bom demais!

 
Vik Muniz e Malu Barreto, Caetano Veloso, Alinne Moraes e Camila Pitanga || Créditos: Michelle Licory
  
Paula Lavigne, Rodrigo Peirao e Malu Barreto


Vik, Luana Moussallem e Caetano Veloso


Caetano Veloso com "Os Gêmeos" Gustavo e Otávio Pandolfo, e Giselle Batista (Foto: Reprodução / Instagram)


O GLOBO

A vez da canja de Caetano Veloso no Baile da Arara

por Guilherme Scarpa

19/2/2015 


O Baile da Arara, festa de Malu Barretto, Rodrigo Peirão e Pedro Igor Alcântara, anteontem, era em um casarão numa daquelas pirambeiras de Santa Teresa, e como ninguém é de ferro, havia carrinhos elétricos para levar todo mundo até lá em cima.

Vik Muniz estava irreconhecível, fantasiado de malandro e com um bigodinho que lembrava o do personagem Amigo da Onça. “Um cara chegou pra mim e disse: ‘Caramba, Paulão, quase não te reconheci’. Eu falei: ‘Não reconheceu mesmo’”, contou, às gargalhadas.
Débora Bloch chegou com as amigas Maria Flor e Mariana Lima, mulher de Enrique Diaz. Recém saído da série “Felizes para sempre?” (ele era o mau caráter Cláudio Drummond), Diaz estava vestido como um jogador de futebol da década de 70, com short bem curto. “Tá um gostoso, gente!”, elogiava Maria Flor.
Assim que apareceram por lá, os quatro foram direto para o deck da piscina e se juntaram a Fernanda Torres, que usava um vestido verde, com asas.

A essa altura, tocava na pista “História de uma gata”, da trilha dos Saltimbancos, aquela do “Nós gatos já nascemos pobres, porém já nascemos livres...”, e foi uma verdadeira comoção.
Quando Caetano Veloso apareceu na festa, começou a surgir o comentário de que ele iria cantar — sua participação no show do grupo Cantoria, de Pretinho da Serrinha, até então era um segredo bem guardado.

Instantes antes de a banda entrar em cena, alguém da produção acionou o gelo seco, para dar um clima à pista. Paula Lavigne não aprovou. “Sem fumaça, gente. Senão o Caetano pode engasgar”.

A turma do Cantoria começou a apresentação com “Desalinho”, emendando com “Trem das onze”, de Adoniram Barbosa. Pouco depois, Pretinho chamou ao palco Roberta Sá para dar uma canja. Ela mandou um “Vai vadiar, vai vadiar...”, e foi muito aplaudida.
Enquanto isso, Mario Testino subia as escadas do casarão com uma câmera digital portátil. O fotógrafo também usou o iPhone e clicou os detalhes da decoração e fez autorretratos (sem pau de selfie, que isso é para os fracos) e correu para a frente do palco.
Caetano estava de mãos dadas com a namorada Luana Moussallem, prontinho para subir e começar a cantar.

Testino o cutucou no ombro. “Hi, man! How are you?”, disse Caetano ao fotógrafo e foi cantar “Abraçaço” em ritmo de samba, com Pretinho.
Ele emendou o hit com “A luz de Tieta” — “Eta, eta, eta, etaaaaa! É a lua, é o sol, é a luz de Tieta”, cantou o pessoal, a plenos pulmões.

Pediram bis, claro, mas Caetano desceu do palco. O grupo Cantoria então improvisou e tocou “Gatas extraordinárias”.

Nessa hora, Paula surgiu segurando um microfone sem fio e o passou para o ex-marido: “Entra no ‘tenho que pegar!’”, disse. Caetano obedeceu na hora e apareceu cantando: “Tenho que pegar, tenho que pegar, essa criatura...”.
 



Caetano Veloso (Foto: Reprodução / Instagram)

 Caetano e Pretinho da Serrinha

Foto: Marcelo Elídio

Mario Testino





No hay comentarios:

Publicar un comentario en la entrada