viernes, 31 de julio de 2015

2001 - RÉVEILLON 2002 - Salvador

"... Caetano Veloso era o único dos Doces Bárbaros que faltava participar do Réveillon de Salvador, no Farol da Barra (ano passado o evento contou com as presenças de Gal, Gil e Bethânia). Faltava, pois, segunda-feira, o cantor e compositor baiano sobe ao palco, às 22h30, para comandar a noite da virada, que terá também Carlinhos Brown e Gil (ex-Banda Beijo), entre as atrações musicais.


Recém-chegado de uma turnê pela Argentina, onde apresentou o show Noites do Norte, Caetano Veloso desembarcou em Salvador e logo começou a ensaiar a apresentação idealizada para o evento, que terá a participação especial de Lulu Santos. Segundo sua assessora, Gilda Matoso, "o espetáculo terá elementos de Noites do Norte, vários sucessos e muita música pra cima, bem no clima do Verão baiano". Caetano encerra o show às 23h45, quando haverá uma queima de fogos de artifício que deve durar 15 minutos...." (Folha da Bahia, 28/12/2001)


 

 



Rio, 30 de dezembro de 2001.


Almodóvar passa Ano Novo com Caetano em Salvador


SALVADOR - O cineasta espanhol Pedro Almodóvar e a atriz Marisa Paredes (estrela de "Tudo sobre minha mãe") devem passar o Réveillon em Salvador. Eles serão hóspedes de Caetano Veloso e Paula Lavigne e devem acompanhar a procissão de Senhor dos Navegantes, no dia 1º, na Baía de Todos os Santos.

IBahia 





Terça-Feira, 1 de Janeiro de 2002.

Réveillon em Salvador tem mau tempo e homenagem à Cássia Eller

SALVADOR (Reuters) - O réveillon em Salvador foi marcado pelo mau tempo e pelas homenagens à cantora Cássia Eller, falecida na semana passada, aos 39 anos.



Caetano Veloso cantou Malandragem, Lulu Santos dedicou-lhe Give me love, de George Harrison e duetou com Carlinhos Brown uma nova versão de Malandragem.



As comemorações pelo Ano Novo começaram às 19h30 com o show do cantor Will Carvalho, seguido pela Banda Didá, composta apenas de mulheres percussionistas. Na praia, as baianas davam banho-de-cheiro nos que queriam afastar os maus fluidos para o ano vindouro.



Às 22h10, com o Largo do Farol da Barra completamente lotado, Caetano Veloso iniciou seu show, homenageando o bloco afro Ilê Ayiê. "2001 será um ano que jamais esqueceremos mas que não deixará saudade. Feliz 2002 a todos", desejou.



Outro grande momento do show foi quando Veloso homenageou Jorge Amado cantando Tieta. A escritora Zélia Gattai e sua filha Paloma Amado, que estavam lá, aplaudiram o poeta de Santo Amaro.


 



Uma presença ilustre na festa foi a do cineasta espanhol Pedro Almodóvar, que está hospedado na casa de Veloso e sua esposa, Paula Lavigne.


              Pedro Almodóvar e Bebel Gilberto                   Marisa Paredes                                  

Um hora antes da virada do ano, Lulu Santos foi chamado como convidado especial ao palco, cantando com Veloso quatro músicas, enquanto bailarinos de rappel coreografavam sua performance. 





Faltando 10 minutos para 2002, Carlinhos Brown foi anunciado pelo autor de Tigresa, e juntos comandam a contagem regressiva, ajudados por baianas e pelos integrantes do bloco Filhos de Gandy.





O Ano Novo chegou com um espetáculo pirotécnico enfeitando o Farol da Barra por 15 minutos. Simultaneamente, em outros nove pontos da cidade duas toneladas de fogos são queimadas.



Cerca de 1 milhão de pessoas assistiram aos concertos, de acordo com estimativas da Policia Militar.






Quarta-Feira, 02 de janeiro de 2002.
Baianos celebram a paz no Reveillon da Barra
Aproximadamente 1 milhão de pessoas festejaram o ano-novo torcendo pelo fim das guerras em 2002

Tatiany Carvalho

Com muita alegria, os baianos festejaram o início de 2002 assistindo a uma série de shows no Farol da Barra.


Pouca chuva, muita animação e harmonia marcaram o Reveillon da Paz no Porto da Barra, palco principal das comemorações de Ano-novo organizada pela prefeitura de Salvador, através da Emtursa. Nas ruas, nas sacadas dos prédios e até mesmo das embarcações enfileirados no mar, o espetáculo comandado por nove atrações, entre elas o cantor e compositor Caetano Veloso, foi acompanhado por aproximadamente 1 milhão de pessoas até a madrugada de ontem.



A chuva forte que atingiu a cidade durante a manhã e tarde do dia 31 de dezembro deixou o público preocupado, mas São Pedro resolveu colaborar com a festa. Da abertura dos shows, por volta das 19h30, com a cantora Will Carvalho, até a apresentação tribal de Carlinhos Brown e Timbalada, pouco depois da zero hora, ocorreram poucos chuviscos. Quando a chuva caiu com mais força já passava de 1h, momento em que os foliões queriam mesmo "lavar a alma" com o show da ex-vocal da Banda Beijo, Gil, e com o grupo de pagode Oz Bambaz, que encerrou as comemorações do Reveillon 2002.



A animação tomou conta dos baianos e dos turistas que escolheram Salvador para se despedir do ano de 2001. "A Barra é sinônimo de concentração. É o coração do Carnaval e do Reveillon", declarou o advogado Angeval Oliveira, 46 anos, morador de Brotas. O espaço foi dividido de forma harmoniosa com visitantes como a cearense Francisca Arrais, 45, que estava acompanhada do marido. "A Bahia tem muita alegria. As pessoas daqui são mais descontraídas e Salvador é uma cidade muito linda, só perde para o Rio de Janeiro", compara.



A mistura de raças e povos rompeu as fronteiras geográficas da Barra, nitidamente marcada pela presença de estrangeiros como Paul Leon, 32, que elogiou a apresentação da Banda Didá com seu som percussivo, e se mostrou ansioso em ver, pela primeira vez, o ídolo Caetano Veloso. "Ele é maravilhoso", afirmou o americano.



Por volta das 22h, Caetano assumiu o comando da festa, para delírio do público, trazendo um show intimista e relembrando sucessos como Leãozinho, Menino do Rio, Chuva, suor e cerveja e Tieta.


O cantor e seu convidado especial, Lulu Santos, tocaram juntos, em dueto, a canção Como uma onda (Nelson Motta/Lulu Santos), momento muito aplaudido. 

Além de um beijo tipo selinho entre os músicos, o público também foi surpreendido com homenagens, feitas individualmente, à cantora Cássia Eller, que morreu no dia 30 de dezembro, no auge de sua carreira artística. 

"O ano de 2001 talvez nos deixe muitas saudades, mas, com certeza, vamos ter uma difícil de esquecer. Saudades, a gente sente de Cássia Eller", afirmou o ex-integrante dos Doces Bárbaros, antes de cantar Gatas Extraordinárias. 

Lulu Santos preferiu homenagear Cássia tocando uma das canções do ex-Beatles George Harrison.


Ponto alto - O momento mais esperado da virada do ano foi, sem dúvida, a queima das duas toneladas de fogos de artifício em pontos estratégicos: atrás do palco, montado na frente do Farol da Barra, e no Morro do Cristo, um dos pontos mais altos do bairro. Pouco antes da meia-noite, a contagem regressiva foi comandada por Carlinhos Brown, sucedendo-se ao show pirotécnico que irrompeu o céu da cidade com luzes multicores, a uma altura de até 350m, e cerca de 300 efeitos especiais.


 

No chão, a multidão acompanhava os estouros com gritinhos que iam se acentuando conforme a potência das explosões. "Lindo demais. Esse é o tipo de espetáculo que caracteriza a virada do ano e que não pode faltar", exclamou a comerciária Maria do Socorro, 33 anos, que mal fez a declaração e voltou o olhar para o céu. Durante 15 minutos, a Barra parou para apreciar a queima de fogos, que também foi realizada em outros pontos da cidade e por particulares.

 


Mas os estouros não foram acompanhados passivamente pelo público. Como era de se esperar, muitas pessoas trouxeram de casa copos e espumantes para brindar a chegada de 2002. O desejo do casal de namorados Eunice de Jesus, 34, e Genivaldo Santos Rosa, 36, era de que o estouro do champanhe guardasse mais do que a simbologia de promessas de dias melhores para 2002, mas que também representasse a superação de antigos problemas brasileiros, como a fome, a pobreza e a miséria.





Caetano homenageia Cássia Eller


Durante o show feito no Réveillon do Farol da Barra, Caetano Veloso homenageou a cantora Cássia Eller, que faleceu no sábado (29), cantando "Gatas Extraordinárias", música de sua autoria, mas que fez sucesso na voz da cantora. Caetano também mostrou os "peitos" fazendo uma alusão ao gesto praticado pela cantora em alguns de seus shows. "Saudades dos peitos da Cássia Eller", lamentou Caetano.

Carlinhos Brown comandou a contagem regressiva no Reveillon do Farol da Barra e, juntamente com a Timbalada, fez o primeiro show soteropolitano de 2002.






Mauro Fernando
Do Diário do Grande ABC



Réveillon é noite de festa para todo mundo. Mas glamour, mesmo, só o Réveillon dos artistas esbanja. O cineasta espanhol Pedro Almodóvar, autor de Tudo Sobre Minha Mãe, Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos e De Salto Alto, entre outros filmes que fizeram a cabeça de muita gente, passou a virada do ano em Salvador.



Almodóvar teve um Réveillon estrelado. Amigo de Caetano Veloso, Almodóvar esteve ao lado de Paula Lavigne, Paula Burlamaqui, Marieta Severo, Bebel Gilberto, Lulu Santos, Scarlet Moon, Marisa Paredes, protagonista de alguns de seus longa-metragens, e Chema Prado, marido da atriz.



A festa aconteceu na casa de Caetano, no bairro do Rio Vermelho, depois da apresentação do cantor e compositor no Farol da Barra. Lulu Santos, Carlinhos Brown, Timbalada e Filhos de Gandhy também participaram do show, que teve na platéia Zélia Gattai, recém-eleita para a Academia Brasileira de Letras, sua filha Paloma Amado e a mãe de Caetano, Dona Canô.



A chuva forte que baixou em Salvador na noite de segunda e na madrugada de terça não amedrontou o público do show nem os convidados de Caetano.

--------------------



Parece um filme de Pedro Almodóvar e é mesmo! Praticamente naturalizado soteropolitano, o cineasta espanhol descobriu um novo cenário que se encaixa à perfeição em sua estética do exagero: o Terno dos Reis Magos, tal como encenado em Santo Amaro da Purificação e protagonizado por um esfuziante Caetano Veloso
Vestido de rei mulato, Caetano ofuscou seus hóspedes – além de Almodóvar, a atriz Marisa Paredes também se contentou com a roupinha de marinheiro. Por onde anda com o cantor (no réveillon do Farol da Barra, em Santo Amaro e onde mais o verão os levar), Almodóvar vai gravando cenas que pretende incluir em seu próximo filme, Hable con Ella.