viernes, 20 de octubre de 2017

2005 - NO CORAÇÃO DA ESCURIDÃO


Letra: Jorge Mautner
Música: Dadi

O sol já vai sair
E eu que fico aí
No porão da solidão
Sozinho na multidão

No coração
Da escuridão
No coração
Da escuridão

Ouço então a melodia
Que vem lá do infinito
Como se fosse o som de um sonho
O mais doce o mais bonito
E assim nesse embalo
Eu te beijo
E nada falo

Meu amor
Por favor
Quero que tudo seja só felicidade
Meu amor
Por favor
Quero que tudo dure apenas toda eternidade






2005 – DADI
Participação Especial: CAETANO VELOSO
Rip Curl Recordings CD RCIP 0089, Track 8. [Japón]
Som Livre CD 0644-2, Track 8. [2007, Brasil]





jueves, 19 de octubre de 2017

2008 - CHOVE LÁ FORA




Letra e música: Tito Madi
© Associação Defensora de Direitos Artísticos e Fonomecânicos (ADDAF)

A noite está tão fria
Chove lá fora...
E esta saudade enjoada
Não vai embora
Quisera compreender
Por que partiste
Quisera que soubesses
Como estou triste
E a chuva continua
Mais forte ainda
Só Deus sabe dizer
Como é infinda
A dor de não saber
Saber... lá fora
Onde estás
Como estás

Com quem estás agora... 









2008 - LEO GANDELMAN
Participação Especial: CAETANO VELOSO
Álbum “Sabe você - Leo Gandelman e convidados”
[Varios intérpretes]
EMI Music CD 2427852, Track 5. l DVD 2427869, Track 7.



2013 - GILBERTO GIL E CAETANO VELOSO - ONG Viva Rio


18/12/2013

Gilberto Gil e Caetano Veloso fazem show no aniversário da ONG Viva Rio

Grupo surgiu após a chacina da Candelária e o massacre de Vigário Geral.

Evento de aniversário de 20 anos teve música das comunidades.

Um encontro entre dois dos maiores músicos brasileiros, Gilberto Gil e Caetano Veloso, marcou o evento de aniversário de 20 anos da ONG Viva Rio nesta terça-feira (17), como mostrou o Bom Dia Rio. A comemoração contou ainda com a participação de grupos musicais de comunidades do Rio e do Grupo Ham, uma banda que veio do Haiti para prestigiar a festa.

A ONG Viva Rio nasceu em um momento complicado da história da cidade. A organização foi formada em dezembro de 1993, mesmo ano em que o Rio estava assustado com a chacina da Candelária, onde seis jovens e dois adultos moradores de rua foram assassinados, e o massacre de Vigário Geral, que deixou 21 pessoas mortas.

O objetivo do movimento era e ainda é promover uma cultura de paz. Para isso, lançou campanhas como a do desarmamento, que já arrecadou 600 mil armas e pretende unir cada vez mais a favela e o asfalto, trabalhando com a inclusão social há duas décadas. O Viva Rio teve sucesso e ganhou o mundo quando foi ajudar a população do Haiti à convite das Nações Unidas.

“Exemplos como Viva Rio são demonstração de capacidade de resposta que a sociedade deve dar as suas próprias questões, suas próprias duvidas, o pagamento das dividas contraídas ao longo de sua própria historia”, disse Gilberto Gil.

O show contou com quem faz sucesso nas comunidades, como o grupo Chorando à Toa, de músicos da Rocinha, e as jovens Estrelas da Maré, que comemoraram com o Viva Rio os projetos desenvolvidos no complexo. A Orquestra Maré do Amanhã brilhou na noite, levando para quadra da Unidos da Tijuca, na Zona Norte, um som que não é comum ao ambiente.















  





Criolo e Caetano Veloso posam durante o evento na Unidos da Tijuca
 Foto: Leo Martins  Agência O Globo

O GLOBO
Show de 20 anos do Viva Rio tem a plateia cantando junto os hits de Caetano e Gil
Evento aconteceu na quadra da Unidos da Tijuca

por Maria Fortuna - Coluna Gente Boa

19/12/2013 7:00

RIO - Assim que Gilberto Gil faz a segunda voz em “Cajuína”, Caetano Veloso agradece desta maneira: “Obrigado, ‘Jiló’, ficou muito bom!”. Ele repete ao microfone o apelido carinhoso com o qual chama o parceiro na intimidade, e brinca com a sonoridade de seu nome. Foi neste clima de festa o show pelos 20 anos da ONG Viva Rio, na quadra da Unidos da Tijuca.

Os dois fazem apresentação recheada de hits, como “Andar com fé”, “Sozinho”, “A paz”, “A luz de Tieta” e “Luz do sol". Gil canta “Maracatu atômico” e Caetano dança, sacudindo os ombros. A plateia canta junto quase todas as músicas, sabe as letras de cor.

Na hora de “Haiti”, canção que também completou duas décadas este ano, Gil e Caetano leem a letra. A banda haitiana Ram, que classifica seu som de influência africana como “vodu rock”, invade o palco e já entra dançando.

Os músicos envolvem Caetano e Gil numa roda. Todo mundo faz um trenzinho, sacolejando no ritmo da música. “Eles tocam naquela parte que o Olodum fazia com a gente, lembra?”, explicava Gil, pouco antes do show, no camarim.

Quando Caetano chega aos bastidores, acompanhado do rapper Criolo, ele e Gil vão até a sala reservada ao Ram para fazer um miniensaio. “O que você acha de a gente começar tocando e puxarmos uma roda?”, sugere Gil ao músico Richard Most, num francês perfeito. Todos saem rodopiando pelo camarim. Gil pôs no repertório a canção “La renaissance africaine” em “homenagem os haitianos”. É que o Viva Rio atua naquele país desde 2004 em missão de paz.

“O Haiti ainda é aqui, Gil?”, quer saber uma repórter. “Continua sendo, mas os Amarildos estão no mundo todo, olhe para o Oriente Médio!”

No entanto, o compositor acha que houve avanços desde que compôs a música com Caetano. “O Rio está melhor. A sociedade presta mais atenção nas comunidades periféricas e as reações aumentaram”.

No palco, Rubem César Fernandes, fundador do Viva Rio, pede “dois minutos de silêncio” às vítimas da chuva recente e da violência urbana. “Vamos levantar os braços para abençoar”, convoca, sendo obedecido na hora. 



2013 - Programa ESQUENTA!




Sábado, 16 de Março de 2013.

Caetano Veloso tieta grupo de funk nos bastidores do 'Esquenta'

Todo sorridente, o cantor tirou foto ao lado de MC Gutty e As Maravilhas.

do EGO, no Rio


Grande apreciador de novidades no que se refere ao mundo da música, Caetano Veloso parece ter sido mesmo conquistado pelo funk. Depois de criar o “batidão” Funk Melódico", faixa que compõe o CD "Abraçaço", o cantor agora se diverte ao lado de bandas de funk cariocas. Durante a gravação do programa Esquenta, comandado por Regina Casé, Caetano posou para foto ao lado do grupo Mc Gutty e as Maravilhas. Na imagem, postada no Instagram, ele aparece supersorridente, cercado pelas Maravilhas.




Aquele Abraçaço! Caetano agita o Esquenta! com tropicália, funk e pagode

O programa ainda tem Felipe Scolari, Samantha Schmutz e Mc Nego do Borel

22/03/2013



Caetano Veloso agita o Esquenta (Foto: Divulgação / TV Globo)

No Esquenta! deste domingo Caetano Veloso mostra que seu ritmo é feito de tropicália, funk e pagode! Além de apresentar músicas de seu último CD e sucessos da carreira, o músico fala de sua relação com ritmos populares e prova que tem mesmo gingado para tudo. Ainda em clima de tropicália, Regina Casé faz uma mistura boa com cineasta, samba, filósofo, técnico de futebol, tudo: porque brasileiro gosta mesmo é de exagero.


Carolina Dieckmann 'tieta' Caetano Veloso e músico se derrete: 'Me leva'

Em gravação do Esquenta!, bailarina ainda coloca Caetano para sambar

13/03/2013


Carol Dieckmann aproveita para 'tietar' o músico (Foto: Esquenta / TV Globo)
A última gravação do Esquenta! foi um exagero de alegria! Com a presença de ninguém menos que Caetano Veloso, que está lançando o novo CD, “Abraçaço”, Regina Casé e sua turma levantam a bandeira do “beijaço” e do “sorrisaço” e fizeram a maior festa no palco do programa.

Carol Dieckmann também participou da gravação e não perdeu a oportunidade de tietar Caetano. Ao perceber que o músico precisava subir ao palco para cantar, a atriz se ofereceu para acompanhá-lo e, com o bom humor típico do programa, Caetano brincou: “Me leva, Carol”. Toda sorridente, a loira esperou a música acabar e desceu a rampa até o centro do palco ao lado dele.



Caetano cai no samba com musa do Esquenta! (Foto: Esquenta / TV Globo)
A família Esquenta! ainda colocou o músico para cair no samba. Ao lado da musa Talita Castilhos, Caetano entrou no clima do programa ao som do samba de Arlindo Cruz e Péricles.


O músico também cantou com Trio Preto + 1 (Foto: Esquenta / TV Globo)
Na sequência, Caetano repetiu uma parceria recente e cantou com Trio Preto +1, grupo que está bombando com o sucesso “Batucada Quente”, de Salve Jorge. E mais: Preta Gil lembrou que Regina Casé é uma das musas inspiradoras de Caetano, que compôs “Rapte-me Camaleoa” para a apresentadora.










2006 - ESTILHAÇOS DE PAIXÃO


“Esta canção foi composta em 1958. Ela é também uma canção de amor, porém muito atormentada e com saudades precoces de um tempo que "passa depressa demais", é interpretada por mim e por Caetano. Quando a ouço, ou interpreto, ela representa para mim uma saudade em chamas e labaredas de lembranças eternas que me ressuscitam a cada instante. A presença de Caetano a tornou sublime e irresvalável!”.


Letra e música: Jorge Mautner

Esta vida me deu uma louca paixão
Que devora e que sangra o meu coração
É a chuva que cai
É o vento que vai
Para nenhum lugar
E eu lembro meu pai
E eu só quero amar
Mas o amor que eu tenho eu não posso dar
Porque o alguém que eu amo
Não quer me amar
É a velha história
Tão sem graça e sem glória
Eu te amo e você não
Vai ver tudo é falta
Falta de ocasião

Mas a vida é assim, o que se há de fazer
E a morte ela vem e você há de ver
E seremos um pó
E seremos um só
Eu só quero dizer
Que o tempo que corre
Não se pode perder
E o tempo ele corre depressa demais
E uma angústia tão velha o tempo me traz
Um alguém por aqui
Um alguém por ali
Outro alguém acolá
Mas você que eu quero
Só você não está






2006 - JORGE MAUTNER
Participação Especial: CAETANO VELOSO
Álbum “Revirão”
Warner Brasil CD 117917-2, Track 3.





10/3/2007





miércoles, 18 de octubre de 2017

2004 - A PESCARIA


Compositores: Wilson Ribeiro Pimentel e Conceição Alves Ferreira

Pego minhas redes, vou pro rio pescar
Levo essa morena e a viola pra pontear
Entro na canoa, atravesso pro lado de lá
Com essa morena do lado, pesco até o dia clarear
Jogo a tarrafa, ela segura o samburá
Quando pego o peixe, nele colocar
Logo mais a meia-noite, o frio começa a apertar
Saimos pra margem do rio, largamos os peixes pra lá
Acendo um fogo pra nós dois se aquecer
Preparo um cafezinho, espero o dia amanecer
Pego a viola e faço um ponteado
Sentados na beira do rio
Com viola e violão afinados 





2004 - CAETANO VELOSO E MARIA BETHÂNIA
BR-PUI-04.00565 / 2:55
Álbum “Namorando a rosa - Em homenagem à música de Rosinha de Valença”
[Varios intérpretes]
Biscoito Fino / Quitanda CD qui 004 / AB0005000, Track 13.



1988 - SAMBA DA BENÇÃO



Música: Baden Powell
Letra: Vinícius de Moraes
© Tonga Editora Musical LTDA / SBAT


É melhor ser alegre que ser triste
Alegria é a melhor coisa que existe
É assim como a luz no coração
Mas pra fazer um samba com beleza
É preciso um bocado de tristeza
Preciso um bocado de tristeza
Senão não se faz um samba, não

Quando se canta todo bole …

Fazer samba não é contar piada
E quem faz samba assim não é de nada
Um bom samba é uma forma de oração
Porque o samba é a tristeza que balança
E a tristeza tem sempre uma esperança
A tristeza tem sempre uma esperança
De um dia não ser mais triste não

Um rosário de ouro, uma bolota assim
Ai, quem não tem balangandãs
Não vai no Bonfim
Não tem balangandas
Não vai no Bonfim

Um rosário de ouro, uma bolota assim
Ôi, quem não tem balangandãs
Não vai no Bonfim
Ôi, quem não tem balangandãs
Não vai no Bonfim

O que é que a baiana tem? …
O que é que a baiana tem? …

Tem torso de seda tem (tem)
Tem saia engomada tem (tem)
Tem bata rendada tem (tem)
Tem sandália enfeitada tem (tem)
Brinco de ouro (tem)
E ginga como ninguém

Como ela requebra bem! ...

Quando você se requebrar
Caia por cima de mim
Caia por cima de mim
Caia por cima de mim

Um rosário de ouro, uma bolota assim
Ôi, quem não tem balangandãs
Não vai no Bonfim
Ôi, quem não tem balangandãs
Não vai no Bonfim

Caia por cima de mim...
Caia por cima de mim...

O que é que a baiana tem?
O que é que a baiana tem?
O que é que a baiana tem?

Um pouco de amor numa cadencia
Vai ver que ninguém no mundo vence
A beleza que tem um samba não
Porque o samba nasceu lá na Bahia
E se hoje ele é branco na poesía
E se hoje ele é branco na poesía
Ele é negro e demais no coração

Quando se canta todo mundo bole…
Quando se canta todo mundo bole…
Ele é negro demais no coração…
Brasil para mim…
Negro demais…
Brasil…
Para mim…
Maní…
Esta noche no voy poder dormir 
Sin comer un cucurucho de mani
Sin comer un cucurucho de maní
Un cucurucho de mani
Ele é negro, ele é negro, ele é negro demais…

Quando se canta todo mundo bole ...
Quando se canta todo mundo bole ...










1988 – JOYCE
Participação Especial: CAETANO VELOSO
Músicas incidentais:
O Samba da Minha Terra (Dorival Caymmi)
O que é que a baiana tem? (Dorival Caymmi)
Requebre que eu dou um doce (Dorival Caymmi)
Aquarela do Brasil (Ary Barroso)
El Manisero (Moisés Simons)
Álbum "Vinicius de Moraes - Negro demais no coração" 
63.762.021 / 4:15
SBK LP 320.055, A-1.
EMI CD 364 793500 2, Track 1.